ÁREA DE RELACIONAMENTOS – RODA DA VIDA

Você merece ser feliz profissionalmente tanto quanto merece ser feliz afetivamente. Pense em suas escolhas, reflita sobre seu comportamento e sobre o comportamento das pessoas ao seu redor. Isto vai te dar mais bagagem para uma decisão mais madura e por isso mais segura. E com uma vida afetiva plena e estável, você terá mais chances ainda de uma vida profissional mais feliz!

O equilíbrio é a solução para resolver diversos problemas, inclusive o dos relacionamentos afetivos. Também inclua neste pacote o autoconhecimento, que é saber realmente o que deseja do seu afeto. Outro parceiro inseparável para os relacionamentos darem certos é a flexibilidade. Essas três palavras: EQUILÍBRIO, AUTOCONHECIMENTO E FLEXIBILIDADE, não podem faltar no seu repertório quando se quer obter relações de qualidade.

 

Este artigo se destina às pessoas que estão precisando melhorar seus relacionamentos. Se no teste que fez da RODA DA VIDA, você percebeu uma pontuação baixa nos relacionamentos, então, siga as dicas mencionadas para ajudá-lo a entender melhor as relações.

O homem é um ser coletivo. Nenhum homem vive sozinho. Desde a época das cavernas, os homens se organizam em pequenos grupos. Vivemos em sociedade e o convívio com outras pessoas é parte fundamental e natural em nosso dia a dia, daí a grande importância dos relacionamentos em nossas vidas.

HOMENS E MULHERES: PORQUE SOMOS DIFERENTE?

Os homens e mulheres são diferentes. Desde os primórdios, enquanto os homens eram responsáveis pelo alimento através da caça, pesca e agricultura, as mulheres eram responsáveis pelo preparo dos alimentos e pela criação dos filhos, Por isso a mulher é mais intuitiva e o homem é mais racional.

Esta divisão de tarefas fez com que as mulheres desenvolvessem sua intuição para entender as crianças e ao mesmo tempo, aprimoraram seu senso de percepção, tornando-se uma espécie de radar, pois estava sempre alerta caso algum predador se aproximasse colocando a sua prole em risco. Isto explica porque as mulheres pegam no ar mentiras ditas pelos seus parceiros.

Já os homens, por sua vez, eram responsáveis pelo alimento, o provedor. Ao sair para caçar precisavam identificar e perseguir alvos distantes. Eles tinham uma única e importante missão: prover o alimento. Por isso é um ser mais racional e menos intuitivo que as mulheres.

O tempo foi evoluindo e as diferenças continuaram na criação. As meninas sempre foram incentivada a brincar de bonecas, comidinha, organizar à casinha.  Já os meninos eram induzidos a pilotar carros, aviões, motos e a ter brincadeiras diferentes e mais estimulantes e emocionantes em comparação a das meninas.

As diferenças não param por ai claro. Ao aceitarmos que os homens e mulheres são diferentes, compreendemos que ambos possuem qualidades e limitações. Os desentendimentos acontecem porque esquecemos que somos diferentes.  E passamos a praticar o ato de  idealizar, projetar em alguém as qualidades que você tanto procura na sua cara­ metade ideal, deixando de enxergar quem a pessoa realmente é com suas qualidades e defeitos. O idealizador espera e exige que o outro atenda a todas as suas expectativas.

 

IDEALIZAÇÃO AMOROZA

Quando idealizamos demais quem esta em nossa frente, não enxergamos sua verdadeira personalidade, não  permitindo que ela se desnude para nós. Se o pretendente mostra alguma qualidade que não estava no nosso script, ótimo, é uma surpresa muito boa. Mas, se ele sai da linha que traçamos pronto: deixa de ser a pessoa dita na nossa cabeça como apta a nos fazer felizes. O ser humano de uma forma geral, não esta preparado para se decepcionar. E para evitar esse tipo de sentimento, prefere projetar determinadas características no seu ser amado a correr o risco de ir conhecendo-o de verdade e percebendo que ele não é quem tanto se espera. Esse é um caminho curto para a decepção. Neste caso o culpado é quem idealiza e não o outro.

CAMINHO DA DESIDEALIZAÇÃO AMOROSA

O primeiro passo para quem quer viver além da paixão, é fazer o amor nascer e durar. É tirar a venda dos olhos e deixar o outro mostrar sua personalidade como ela é e não como queremos que ela seja. A gente tem mania de fazer uma listinha, decorar e sair por ai tentando encaixá-la nos homens que encontramos no meio do caminho da vida.

Sinto lhe dizer, mas essa lista, dificilmente vai se encaixar como uma luva em alguém. Isso porque você vai se prender tanto  a estas qualidades que estabeleceu na sua cabeça, que não dará oportunidade de qualquer pessoa se aproximar ou tentar lhe fazer feliz como você tanto quer.

E creia ninguém gosta de viver moldado o tempo todo. Sem espontaneidade, sem o direito de ir e vir. Na há relação que perdure diante de tanta expectativa e regras. Já parou para pensar nisso? Às vezes a mulher sufoca tanto o homem que quer ficar ao seu lado, que contribui para que ele se afaste dela, negando o carinho que ela precisa, mas não faz por merecer.

E sabe por que ela não merece?  Porque não permite que o homem lhe dê carinho à sua maneira, que use os artifícios que conheceu ao longo da vida e que julga serem prudentes para satisfazê-la. Não se deixa ser surpreendida. Só que é justamente nas surpresas que o amor acontece.

Sabemos que o mundo mudou, hoje muitas mulheres são independentes, não precisam do dinheiro dos homens, bancam-se sozinhas. Isto é um progresso e incentivo que as mulheres evoluam ainda mais. Porém, a diplomacia, a calma neste momento de transição é de extrema importância. É necessário deixar a agressividade de lado e aos poucos, com tato, mostrar com sutileza sua capacidade e autonomia para não assustar os homens.

Em certos casos a mulher não deixa o homem ser como é, por medo de se decepcionar, de ver seu castelinho encantado ruir ao descobrir que ele não está nos moldes que ela criou (voltamos à questão da infância, da idealização, da listinha). Assim, para evitar “sustos” ela toma a frente de tudo. Só ela liga, só ela toma as iniciativas pela relação, só ela vigia, só ela luta, não dando espaço para o outro construir seus próprios caminhos para chegar até esta mulher. Sem autonomia para trabalhar, qualquer pretendente desiste e foge.

Quem quer se relaciona, não pode ter medo de perder. Aquela ideia de que é necessário deixar livre aquele que se deseja para que ele possa ter o direito de escolher se quer vir até você ou não é a mais certa e mais difícil de colocar em prática.

Acredito que o diálogo e a liberdade concedida ao outro, são bons caminhos para evitar aquela imagem projetada, possibilitando salvar a vida a dois.

 

Aconselho o autoconhecimento , procurar saber o que você realmente quer e o que não quer, estabeleça quais tipos de defeitos está disposto(a) a aturar e quais situações vai se permitir passar. Esse filtro, bem diferente de uma idealização, funciona como uma proteção, uma forma de você não perder tempo com pessoa ou situação que não ajuda você a alcançar o objetivo de viver um relacionamento firme.

Os relacionamentos amorosos apresentam muitas vantagens, servem para nos fazer crescer, ganhar, rir, sonhar, frustar para aprender. Não conseguimos desenvolver a tal da receita da felicidade eterna, no entanto, percebemos que cultivando uma mente aberta, juntamente com a busca do autoconhecimento, conseguimos minimizar situações ruins e driblar energias negativas.

Relacionamentos tendem a compensar, completar ou complementar, um momento (bom ou ruim) e não ao contrário. É importante se valorizar e ter cuidado com quem você se relaciona depois de um amor não correspondido, não saia por ai se jogando nos braços de qualquer um(a) por estar carente, tente sim conhecer novas pessoas, mas nunca deixe seus princípios e valores de lado.

Amar é um anseio natural de todo ser humano. Não é a solução de todos os problemas, não é o único objetivo da vida, mas é horrível não se sentir amado. Então, AME-SE. “É de nós mesmos que devemos esperar tudo, você deve ser capaz de resolver seus problemas sem “transferir” para outros essa obrigação, você deve enfrentar seus medos e não projetá-los para os outros”.

“Seja você como quer ser, aprenda a percorrer o mundo com confiança e maturidade, construa a sua própria felicidade com respeito pelos outros. Espere tudo de si e viva em harmonia com os demais”.

Equilíbrio, autoconhecimento e flexibilidade a todos.

Click Ideal Equilíbrio

   

Compartilhe com seus amigos...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
silmara on Bloggersilmara on Facebooksilmara on Googlesilmara on Instagramsilmara on Youtube
silmara

Silmara Regina Carlos – Educadora, Life Coaching ISOR®, Treinamento e desenvolvimento de pessoas. Palestrante abordando os temas: Desenvolvimento Pessoal, Qualidade de Vida e Equilíbrio entre a Vida Pessoal e Profissional. Especialista em Gestão de Pessoas, graduada em Pedagogia, Letras e Coach – Instituto HOLOS – Certificação ICF International Coach Federation.