COACHING AFETIVO PARA SOLTEIROS

Existe uma máxima que define o casamento da seguinte maneira: “Quem está dentro quer sair e quem está fora, quer entrar!”. O que fundamenta essa premissa? O desejo de solteiros constituírem uma família e a constatação de que para os casados, o casamento não é nada daquilo que se imaginava.

O fato é que as pessoas se apaixonam, amam e querem viver uma vida a dois, ter um (a) companheiro (a) para esta caminhada chamada vida. Se existem variações no formato, como cada um na sua casa, ou se é um relacionamento aberto que permite concessões, são questões particulares de cada casal. As pessoas querem ter uma vida afetiva plena, querem se realizar afetivamente da mesma maneira que buscam uma realização profissional.

Segue abaixo algumas perguntas direcionadas aos solteiros que não conseguem vivenciar um namoro duradouro e aos solteiros que estão em transição para a vida a dois. Espero que ajude de alguma forma.

 

SOLTEIROS QUE NÃO CONSEGUEM VIVENCIAR UM NAMORO DURADOURO.

1)- Como é o relacionamento afetivo que deseja?

2)- Que tipo de contribuição estou disposto(a) a dar para que uma pessoa se interesse por mim?

3)- O quanto estou disposto(a) a abrir mão de minha situação atual para obter um relacionamento afetivo que me agrade?

4)- Quais são as qualidades indispensáveis que busco num(a) parceiro(a) para minha vida?

5)- Quais são as características desagradáveis, porém toleráveis em um(a) parceiro(a)?

6)- Quais são as características que meu(minha) parceiro(a) deve ter e que não abro mão de jeito nenhum?

7)- O que estou de fato buscando num relacionamento afetivo?

8)- Qual é a minha marca pessoal? Que características eu tenho que me diferenciam das pessoas ao meu redor e me tornam uma pessoa atraente e agradável para uma relação?

9)- Que comportamento tenho repetido que não tem me trazido bons resultados para que eu tenha um relacionamento estável duradouro?

10)- Que lugares tenho frequentado ou com quais pessoas tenho convivido que possam me aproximar do ideal de pessoa que desejo?

Para os solteiros que estão na transição para a vida a dois, as perguntas anteriores também são pertinentes. Porém, como está em transição já pressupõe que o parceiro(a) já foi escolhido(a), cabem ainda mais estas questões:

1)- Quais são as características  ou interesses que mais tenho em comum com meu(minha) parceiro(a)?

2)- Em que pontos mais divergimos? São pontos importantes para mim ou podem ser relevados?

3)- Quais são os nossos valores? São convergentes ou divergentes?

4)- Como posso contribuir para o crescimento de meu(minha) parceiro(a)? Como ele(a) pode contribuir com o meu crescimento?

5)- Tenho admiração pelo meu(minha) parceiro(a)? Em quais pontos?

6)- Fazendo uma visualização do nosso relacionamento para os próximos 20 anos, consigo perceber que temos interesses em comum? Gostamos de conversar?

7)- O que posso fazer na prática para conhecer melhor meu futuro cônjuge?

Fonte: Coaching Afetivo – (Patrícia Barreto de Camargo)

 

Boa reflexão

Click Ideal Equilíbrio

 

 

   

Compartilhe com seus amigos...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
silmara on Bloggersilmara on Facebooksilmara on Googlesilmara on Instagramsilmara on Youtube
silmara

Silmara Regina Carlos – Educadora, Life Coaching ISOR®, Treinamento e desenvolvimento de pessoas. Palestrante abordando os temas: Desenvolvimento Pessoal, Qualidade de Vida e Equilíbrio entre a Vida Pessoal e Profissional. Especialista em Gestão de Pessoas, graduada em Pedagogia, Letras e Coach – Instituto HOLOS – Certificação ICF International Coach Federation.